Translator

Noticias: A curitibana Adriana Birolli será a nova vilã de Manoel Carlos


Olhe bem para o rosto acima. A partir de setembro, ele será responsável por boa parte das maldades de “Viver a Vida”, próxima novela das oito, de autoria de Manoel Carlos. Por enquanto, ele pertence somente a Adriana Birolli, atriz curitibana, de 22 anos, que é a nova aposta de Maneco - como o autor também é conhecido -, e do diretor da trama, Jayme Monjardim.

“Quando fiquei sabendo, comecei a gritar como uma louca. Fiquei com dor de garganta, mas valeu a pena (risos). Acho que foi a melhor notícia que já tive na minha vida”, contou a atriz que exerce o ofício desde os 8 anos de idade.

A felicidade de Adriana responde pelo nome de Isabel, anti-heroína impulsiva e que não pensa muito na hora de falar. A personagem será filha de Lília Cabral e José Mayer e irmã de Alinne Moraes na trama.

“Ela é do tipo que fala o que pensa, que não mede muito as consequências. Fala o que acha, e é por aí que ela compra as encrencas dela”, diz a atriz que gravou as primeiras cenas como Isabel na quarta-feira, 22. Confira o que ela disse para o EGO!

Convite
"Tinha um cadastro na Globo, e o produtor de elenco, Luiz Antônio, me chamou para vir fazer a Oficina de Atores. A oficina dura só quatro meses. Mas eles foram renovando, renovando e acabei fazendo por um ano e meio. Depois, pintou o teste para a novela. Luiz me chamou, fiz o teste numa segunda-feira e na quarta ele me ligou para dizer que tinha ficado com o papel."

Caindo a ficha
"Achei muito doido. A hora em que fiquei sabendo comecei a gritar como uma louca. Fiquei com dor de garganta, mas valeu a pena (risos). Acho que foi a melhor notícia que já tive na minha vida."

A escolhida
"Conversei com Jayme Monjardim e ele falou que me escolheu porque eu tinha algo especial que poderia ser usado nesse papel. Não falou o que era, mas disse que eu poderia acrescentar."

Vilã
"É uma delícia. Mas o Maneco não a descreve como vilã. Ele diz que é uma anti-heroína, uma personagem com uma personalidade muito forte. Já fiz várias garotas más no teatro e acho uma delícia. Estou tentando construir a Isabel a partir do que o Manoel Carlos manda para mim nos textos. Teve um dia que ele escreveu que a Isabel era uma personagem antipática e cativante. Ela é do tipo que fala o que pensa, que não mede muito as consequências. Ela fala o que acha e pronto, e é por aí que ela compra as encrencas dela."

Inspiração
"Não me inspirei em ninguém especificamente, não. Peguei algumas referências, mas Jayme Monjardim pediu para que eu fizesse uma construção minha. Quero fazer a Isabel da melhor forma possível."

Virando carioca
"Morava em Curitiba e me mudei para Ipanema, no Rio. Como sou atriz desde muito nova, sempre soube que teria que me mudar de lá. Sempre quis vir para o Rio, mas não queria tentar a vida, queria vir com um trabalho, o que acabou acontecendo agora. A cidade tem tudo a ver comigo. O que mais gosto aqui é do calor. O trânsito aqui é meio diferente. Em Curitiba não existe um ônibus parar fora do ponto. Mas, apesar de caótico, ele vai, flui, é uma loucura, mas as pessoas se entendem no trânsito (risos)."

Saudade de casa
"Tenho saudades da minha família, mas a gente se fala sempre. Estou sempre contando as novidades para eles. Lá, morava com meu pai, Ancelmo, minha mãe, Rosita, e meus irmãos, Letícia e Carlito Birolli."

fonte: Ego

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO